Você está em:
CCT
 
                                       


CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO

2014/2015

 

 

NÚMERO DE REGISTRO NO TEM - LOND/DRT-PR 002089/2014

DATA DE REGISTRO NO MTE: 30/MAIO/2014

NÚMERO DO PROCESSO: 46293.001083/2014-11

 

 

SINDICATO DOS AUXILIARES DE ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR DE LONDRINA, CNPJ n. 78.962.800/0001-80, Código Sindical n. 010.302.88188-0, neste ato representado por seu Presidente, Sr. CELSO MOREIRA DE MATTOS; E SINDICATO DOS ESTABELECIMENTOS DE ENSINO DO NORTE DO PR, CNPJ n. 81.765.000/0001-84, neste ato representado por seu Presidente, Sr. ALDERI LUIZ FERRARESI; celebram a presente CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO, estipulando as condições de trabalho previstas nas cláusulas seguintes:

 

CLÁUSULA PRIMEIRA - VIGÊNCIA E DATA-BASE - As partes fixam a vigência da presente Convenção Coletiva de Trabalho no período de de março de 2014 a 28 de fevereiro de 2015 e a data-base da categoria em 1º de março.

 

CLÁUSULA SEGUNDA – ABRANGÊNCIA - A presente Convenção Coletiva de Trabalho abrangerá a(s) categoria(s) de todos os Auxiliares de Administração Escolar, que prestam serviços ou desempenhem funções que não sejam de docentes, em estabelecimentos de ensino e educação. Compreendem-se por estabelecimentos de ensino todas as escolas de educação infantil, ensino fundamental e médio regular e supletivo, ensino superior, cursos livres de qualquer natureza, inclusive escola de dança, natação, esportes, institutos culturais,  e ensino profissionalizante.

Com abrangência territorial em Abatiá/PR, Alvorada do Sul/PR, Andirá/PR, Apucarana/PR, Arapongas/PR, Assaí/PR, Astorga/PR, Bandeirantes/PR, Barra do Jacaré/PR, Bela Vista do Paraíso/PR, Cafeara/PR, Califórnia/PR, Cambará/PR, Cambé/PR, Centenário do Sul/PR, Congonhinhas/PR, Conselheiro Mairinck/PR, Cornélio Procópio/PR, Curiúva/PR, Faxinal/PR, Florestópolis/PR, Guapirama/PR, Guaraci/PR, Ibaiti/PR, Ibiporã/PR, Jacarezinho/PR, Jaguapitã/PR, Jataizinho/PR, Jundiaí do Sul/PR, Leópolis/PR, Londrina/PR, Lupionópolis/PR, Marilândia do Sul/PR, Miraselva/PR, Nossa Senhora das Graças/PR, Nova América da Colina/PR, Nova Fátima/PR, Ortigueira/PR, Porecatu/PR, Primeiro de Maio/PR, Rancho Alegre/PR, Ribeirão Claro/PR, Ribeirão do Pinhal/PR, Rio Bom/PR, Rolândia/PR, Sabáudia/PR, Santa Amélia/PR, Santa Cecília do Pavão/PR, Santa Inês/PR, Santa Mariana/PR, Santo Antônio da Platina/PR, Santo Antônio do Paraíso/PR, Santo Inácio/PR, São Jerônimo da Serra/PR, São Sebastião da Amoreira/PR, Sapopema/PR, Sertaneja/PR, Sertanópolis/PR e Uraí/PR.

 

 

Salários, Reajustes e Pagamento

 Piso Salarial

 

CLÁUSULA TERCEIRA - DO PISO SALARIAL - Fica estipulado o piso salarial a vigorar a partir de 01/março/2014 em R$ 796,40 (setecentos e noventa e seis reais e quarenta centavos) mensal, já incluído o pagamento do repouso semanal remunerado.

 

Reajustes/Correções Salariais

 

CLÁUSULA QUARTA - DO REAJUSTE SALARIAL - Fica concedido um reajuste salarial a ser aplicado aos salários de todos os auxiliares na administração escolar equivalente a 7% (sete por cento). A concessão do índice contido nesta cláusula importará no zeramento da variação inflacionária de todo o período compreendido entre março/2013 a fevereiro/2014.

 

PARÁGRAFO PRIMEIRO: O percentual acima será aplicado sobre os salários-base vigentes em 01/março/2014. Não haverá incorporação do percentual de produtividade. Aos admitidos após março/2013 será devido o índice proporcional aos meses trabalhados.

 

PARÁGRAFO SEGUNDO: Fica facultada a compensação das antecipações e reajustes concedidos no período de 1º de março de 2013 a 28 de fevereiro de 2014.

 

Pagamento de Salário – Formas e Prazos

 

CLÁUSULA QUINTA - DO RECIBO DE PAGAMENTO - Os estabelecimentos de ensino serão obrigados a fornecer ao auxiliar, cópia do recibo de pagamento de sua remuneração, especificadamente.

 

PARÁGRAFO ÚNICO: O pagamento em atraso será regularmente discriminado no recibo de pagamento, com menção ao mês de competência, data do vencimento do débito e data do pagamento, sob pena de nulidade.

 

CLÁUSULA SEXTA - DO ADIANTAMENTO SALARIAL - Os Estabelecimentos de Ensino concederão, quando solicitados, um adiantamento de 30% (trinta por cento) do valor da remuneração, até o dia 20 (vinte) de cada mês.

 

Descontos Salariais

 

CLÁUSULA SÉTIMA - DOS CONVÊNIOS - No caso dos auxiliares de administração associados, o estabelecimento deverá efetuar em folha de pagamento os descontos relativos aos convênios mantidos pelo Sindicato Profissional com lojas e farmácias.

 

PARÁGRAFO ÚNICO: Antes de conceder a guia de autorização ao empregado, o Sindicato Profissional deverá se comunicar com a escola, sobre a existência ou não de outros valores a serem descontados nos mesmos meses da utilização dos convênios.

 

Outras normas referentes a salários, reajustes, pagamentos

 e critérios para cálculo

 

CLÁUSULA OITAVA - DA SUBSTITUIÇÃO - O Auxiliar substituto, deverá perceber o mesmo salário que o substituído, enquanto perdurar a substituição, que não tenha caráter meramente eventual.

 

CLÁUSULA NONA – VIAGENS - Não serão consideradas como salários in natura e nem incorporadas à remuneração do empregado para todos os efeitos legais, as despesas com viagens, participação em congresso, realização de pós-graduação, inclusive mestrado e doutorado, que eventualmente venham a ser custeadas de forma integral ou parcial pelo estabelecimento de ensino.

 

Gratificações, Adicionais, Auxílios e Outros

  Adicional de Tempo de Serviço

 

CLÁUSULA DÉCIMA - DO ADICIONAL POR TEMPO DE SERVIÇO – BIÊNIO - Fica fixado o adicional por tempo de serviço correspondente a 1% (um por cento) para cada DOIS anos completos e ininterruptos de serviços na mesma empresa, incidente sobre o salário base percebido mensalmente, computando-se o tempo de serviço do empregado desde 1º de março de 1990, ficando o adicional limitado ao total máximo de 4% (quatro por cento) do salário base, a ser pago destacadamente e de forma não cumulativa.

 

PARÁGRAFO ÚNICO: Quando o biênio atingir o limite de 4% (quatro por cento) a escola manterá este percentual, ainda que o empregado possua tempo superior a oito anos de serviços prestados à mesma empresa.

 

Outros Adicionais

 

CLÁUSULA DÉCIMA PRIMEIRA - DA PRODUTIVIDADE - Fica garantido o direito dos empregados que, até 28 de fevereiro de 1999, inclusive, percebiam o adicional de produtividade, cuja parcela deverá ser paga destacadamente.

 

Contrato de Trabalho – Admissão, Demissão, Modalidades

 Desligamento/Demissão

 

CLÁUSULA DÉCIMA SEGUNDA - DA RESCISÃO DO CONTRATO DE TRABALHO - Ocorrendo rescisão de Contrato de Trabalho todos os direitos deles decorrentes será pagos pelos Estabelecimentos de Ensino, inclusive saldo de salário, nos prazos e cominações estabelecidos no parágrafo 6º do art. 477 da CLT, alterado pela Lei nº 7.855, sem prejuízo da penalidade prevista nesta convenção.

 

PARÁGRAFO PRIMEIRO: Desobrigam-se os Estabelecimentos de Ensino da multa aqui referida, se o auxiliar de administração escolar convocado no próprio texto do aviso prévio, por telegrama ou por carta registrada com aviso de recebimento, dentro do prazo acima, deixar de comparecer à sede da empresa para receber seus haveres.

 

PARÁGRAFO SEGUNDO: No mesmo prazo deverá a empresa efetivar a baixa na CTPS do auxiliar.

 

PARÁGRAFO TERCEIRO: Fica garantido ao empregado que for demitido sem justa causa no período de 30 dias que antecede a data-base (30/janeiro a 28/fevereiro), o pagamento da indenização prevista no artigo 9º. da Lei 7.238/84.

 

1º. - Na hipótese de concessão do aviso prévio (cumprido ou indenizado) dentro do período de 30 dias que antecede a data-base, haverá a projeção do tempo respectivo no contrato de trabalho, e, ocorrendo o término no mês de março será então devido ao empregado somente o reajuste devido pela CCT, não fazendo jus à indenização da Lei 7.238/84.

 

2º.- Havendo mudança na legislação que regula a matéria aqui tratada, as partes convenientes promoverão a alteração desta cláusula através de nova negociação.

 

PARÁGRAFO QUARTO: Os Estabelecimentos de Ensino de Londrina devem homologar as rescisões de contrato de trabalho dos Auxiliares com mais de um ano de serviço no Sindicato dos Auxiliares de Administração Escolar de Londrina.

 

Aviso Prévio

 

CLÁUSULA DÉCIMA TERCEIRA - DO AVISO PRÉVIO – Durante o período de aviso prévio fica vedada às alterações nas condições de trabalho, sob pena de rescisão imediata do contrato, respondendo o Estabelecimento de Ensino pelo pagamento do restante do aviso prévio e demais verbas rescisórias, sem prejuízo da multa contida nesta convenção.

 

 

Relações de Trabalho – Condições de Trabalho, Normas de Pessoal e Estabilidades - Plano de Cargos e Salários

 

CLÁUSULA DÉCIMA QUARTA - DO QUADRO DE CARREIRA - Os Estabelecimentos de Ensino estudarão junto com os auxiliares, propostas de quadro de carreira.

Política para Dependentes

 

CLÁUSULA DÉCIMA QUINTA - DOS DESCONTOS EM MENSALIDADE - Fica estabelecido que as escolas de educação infantil, ensino fundamental e ensino médio, concederão aos empregados que requererem junto ao estabelecimento de ensino a que estiver vinculado, descontos de no mínimo 50% (cinquenta por cento) no valor da mensalidade dos filhos matriculados na respectiva instituição, desde que sua carga horária seja de pelo menos 36 (trinta e seis) horas semanais.

 

PARÁGRAFO PRIMEIRO: A concessão aqui instituída é limitada a dois filhos por empregado.

 

PARÁGRAFO SEGUNDO: O benefício previsto nesta cláusula não integra a remuneração do empregado para qualquer efeito jurídico-legal, tendo natureza indenizatória.

PARÁGRAFO TERCEIRO: Na hipótese de ambos os pais serem empregados de uma mesma escola, suas cargas horárias serão somadas para os efeitos do benefício previsto no “caput”, limitando-se, sempre, a 50% de desconto por filho e ao máximo de dois filhos.

 

Outras normas de pessoal

 

 

CLÁUSULA DÉCIMA SEXTA - DO DIA DO AUXILIAR DE ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR - Fica convencionado que o dia do auxiliar de administração escolar será comemorado na data de 15 de outubro, com dispensa do serviço e sem prejuízo da remuneração respectiva.

 

Jornada de Trabalho – Duração, Distribuição, Controle, Faltas Compensação de Jornada

 

CLÁUSULA DÉCIMA SÉTIMA - DO ACORDO DE COMPENSAÇÃO DE HORAS - Em decorrência da peculiaridade das atividades da categoria, fica estabelecida a possibilidade de cumprimento dos seguintes sistemas de compensação, sem a necessidade de acordo individual de compensação de horário; a) Jornada de trabalho de 44 (quarenta e quatro) horas semanais, podendo a jornada relativa aos sábado ser cumprida no decorrer da semana, sem necessidade de acordo individual de compensação, visando a extinção do trabalho nestes dias (sábados); b) Jornada de trabalho de 12x36 horas, com labor em doze horas consecutivas de trabalho e folga compensatória nas 36 horas seguintes, para o período noturno ou diurno; c) Jornada de trabalho de 6x12 horas, com o cumprimento de 6 (seis) horas durante 05 dias da semana e mais um plantão de doze (12) horas em outro dia da semana;

 

PARÁGRAFO PRIMEIRO: Independentemente da compensação existente, o empregado deverá ter uma folga semanal, preferencialmente aos domingos. Para efeitos de apuração da folga semanal, será considerado semana o período que compreender entre a Segunda-Feira (1.º dia) e o domingo (último dia).

 

PARÁGRAFO SEGUNDO: No sistema de 12x36 horas encontram-se automaticamente compensados os domingos e feriados.

 

PARÁGRAFO TERCEIRO: No caso de adoção do sistema de 12x36 horas para o período da noite, em face de peculiaridade deste sistema bem como da dificuldade de locomoção dos empregados para refeição, fica estabelecida a possibilidade de o intervalo ser usufruído concomitante à jornada e no próprio local de trabalho, sendo que para tanto será considerado como 12 horas o interregno compreendido das 19:00 às 7:00 horas.

 

CLÁUSULA DÉCIMA OITAVA - DO BANCO DE HORAS - Estabelecem as partes, através da presente convenção coletiva, em instituir regime de COMPENSAÇÃO DE JORNADA, através do sistema de BANCO DE HORAS, sem a necessidade de celebração de acordo individual para tanto.

 

PARÁGRAFO PRIMEIRO: Através do Banco de Horas, fica estabelecido que o excesso ou a instituição de trabalho em determinados dias será compensado mediante FOLGAS ou REDUÇÃO da jornada em outros dias ou pagamento de horas extras.

 

PARÁGRAFO SEGUNDO: As horas excedentes da jornada normal, bem como aquelas cumpridas a menor, serão lançadas em um banco de horas através do qual se apurará o saldo existente entre crédito e débito, sendo que subsistirá o zeramento deste saldo em um período máximo de 06 (seis) meses, exceto quando ocorrer à hipótese prevista no parágrafo 4º desta cláusula, que importará na prorrogação deste prazo por mais 30 (trinta) dias após o retorno do empregado para suas funções.

 

PARÁGRAFO TERCEIRO: A cada período de 06 (seis) meses a empresa fará um balanço dos créditos e débitos de horas de cada empregado; em havendo crédito de horas, estas deverão ser compensadas até o mês subseqüente a este balanço; havendo débito de horas, o empregado deverá cumprir as horas em débito também no mês subseqüente. Não havendo o zeramento do banco de horas no ano, as horas em crédito serão pagas como extras ao empregado juntamente com a folha do respectivo mês e as horas em débito serão perdoadas pela empresa, salvo acordo em contrário.

 

PARÁGRAFO QUARTO: No caso de não ser possível a concessão de folga compensatória nos 30 (trinta) dias subseqüentes ao fechamento do balanço em conseqüência do afastamento do empregado por motivo de licença previdenciária e atestados médicos, fica prorrogado o prazo em referência por mais 30 (trinta) dias, iniciados a partir do retorno do empregado às suas funções.

 

PARÁGRAFO QUINTO: Em caso de rescisão contratual por dispensa com justa causa a empresa poderá descontar o valor das horas em débito.

 

PARÁGRAFO SEXTO: Se ocorrer rescisão sem justa causa do contrato de trabalho sem que tenha havido a compensação da jornada extraordinária, a empresa promoverá o pagamento destas horas como extras.

 

PARÁFRAFO SÉTIMO: A empresa, sempre que possível, promoverá o acúmulo de horas visando à extinção total do dia a ser compensado, procurando ainda promover a compensação de horas em dias seguidos, permitindo assim maior descanso ao empregado.

 

PARÁGRAFO OITAVO: Se no balanço efetuado pela empresa houver débito de horas por parte do empregado, este deverá cumpri-lo; havendo recusa em promover o cumprimento destas horas, a empresa poderá promover o desconto respectivo.

 

PARÁGRAFO NONO: A empresa deixará à disposição do empregado o saldo das horas existentes junto ao Banco. Para efeito de contagem do banco de horas faculta-se a utilização do período de marcação do cartão ponto para o dia 25 de um mês ao dia 24 do mês seguinte, ou outro que melhor se adapte à empresa.

 

PARÁGRAFO DÉCIMO: Considerando-se a necessidade de adaptação das empresas para a adoção do Banco de Horas, fica estabelecido que a empresa que optar pela adoção deste regime encaminhará ofício ao SAAEL comunicando tal fato, ficando a partir de então autorizado a iniciar o Banco de Horas, sem necessidade de realizar acordo individual para este fim.

 

Intervalos para Descanso

 

CLÁUSULA DÉCIMA NONA - DO INTERVALO INTRAJORNADA - Nos termos do artigo 71, caput da CLT – Consolidação das Leis do Trabalho fica estabelecida a possibilidade de cumprimento de intervalos intrajornada (descanso e alimentação) superior a 02 (duas) horas, desde que haja acordo individual para tanto.

 

CLÁUSULA VIGÉSIMA - DO INTERVALO ENTRE DUAS JORNADAS - Os Estabelecimentos de Ensino e o(s) auxiliar (es) na administração escolar poderá (ão) estabelecer intervalo entre duas jornadas inferior ao previsto nos artigos 66 e 67 da CLT, desde que tal acordo seja submetido à apreciação e homologação junto ao SAAEL.

 

Faltas

 

CLÁUSULA VIGÉSIMA PRIMEIRA - DA FALTA POR MOTIVO DE DOENÇA - Serão abonadas as faltas motivadas por doença do auxiliar de administração escolar, mediante apresentação de atestado médico fornecido por profissionais credenciados pelo estabelecimento de ensino ou Previdência Social (INSS), os quais deverão ser entregues na empresa no prazo máximo de até 5 (cinco) dias após o retorno, salvo se o fechamento da folha ocorrer antes deste prazo, quando então deverá ser entregue até esta data.

 

CLÁUSULA VIGÉSIMA SEGUNDA - DA FALTA POR MOTIVO DE NASCIMENTO DE FILHO - Fica assegurada ao pai a licença de cinco dias consecutivos por ocasião do nascimento de filho, contados da data do nascimento.

 

CLÁUSULA VIGÉSIMA TERCEIRA - DA LICENÇA GALA OU LUTO - Não serão descontadas, nem consideradas para qualquer efeito, no decurso de 04 (quatro) dias consecutivos ao evento, às faltas dos empregados por motivo de gala ou luto, devendo subsistir a comprovação do fato posteriormente. No caso de gala, o empregado deverá comunicar o fato à escola com pelo menos 72 (setenta e duas) horas de antecedência.

 

PARÁGRAFO ÚNICO: Em caso de luto, quando for falecimento do pai, mãe, cônjuge ou companheiro (a), filhos ou demais dependentes, devidamente inscritos junto à Previdência Social. No caso de falecimento de outras pessoas da família, prevalecerá a regra do artigo 473 da CLT.

 

CLÁUSULA VIGÉSIMA QUARTA - DA PARTICIPAÇÃO EM SEMINÁRIOS - Mediante prévio consentimento do Estabelecimento de Ensino serão abonadas as faltas do auxiliar para participação em congressos, simpósios e equivalentes, mediante comprovação posterior, no prazo máximo de até 5 (cinco) dias após o retorno, salvo se o fechamento da folha ocorrer antes deste prazo, quando então deverá ser entregue até esta data.

 

 

CLÁUSULA VIGÉSIMA QUINTA - DO ABONO DE FALTAS AO TRABALHADOR ESTUDANTE - Aos Auxiliares de administração escolar estudantes, de comum acordo com a entidade escolar, será concedido abono de faltas para a prestação de provas e/ou exames escolares, no horário da realização das mesmas, devendo estas ser comunicadas por escrito, com antecedência mínima de 48 (quarenta e oito) horas bem como comprovadas mediante documento idôneo.

 

Férias e Licenças - Licença Adoção

 

CLÁUSULA VIGÉSIMA SEXTA - DA LICENÇA ADOÇÃO - Fica assegurado aos auxiliares de administração escolar (tanto do sexo feminino quanto do sexo masculino) que adotarem ou obterem a guarda judicial de crianças para fins de adoção, o direito de afastamento correspondente a 120 dias a título de Licença Maternidade, na forma da redação do artigo 71-A da Lei 8.213/91.

 

PARÁGRAFO ÚNICO: A remuneração a título de Licença Maternidade será paga diretamente pela Previdência Social.

 

Outras disposições sobre férias e licenças

 

CLÁUSULA VIGÉSIMA SÉTIMA - DAS FÉRIAS PROPORCIONAIS - O trabalhador que pedir demissão antes de completar 12 (doze) meses tem direito a férias proporcionais. (Súmula 261 do TST).

 

PARÁGRAFO ÚNICO:

O empregado que pedir demissão antes de vencido o período do contrato de experiência fará jus as férias proporcionais.

 

Saúde e Segurança do Trabalhador – Uniforme

 

CLÁUSULA VIGÉSIMA OITAVA - DO USO DE UNIFORME E EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - O estabelecimento que exigir o uso de uniformes, fornecerá gratuitamente ao empregado um mínimo de duas unidades ao ano, apresentados para reposição aqueles destinados à substituição ou devolvidos por ocasião da rescisão contratual, ficando certo que a guarda e conservação dos mesmos correrá por conta do empregado, enquanto detentor.

 

Aceitação de Atestados Médicos

 

CLÁUSULA VIGÉGIMA NONA - DOS ATESTADOS MÉDICOS - Os atestados médicos, para justificação de faltas ou afastamento do trabalho, devem ser vistados por médicos credenciados pelo Estabelecimento de Ensino para terem eficácia jurídica, excetuados os da previdência social, os quais deverão ser entregues na empresa no prazo máximo de até 5 (cinco) dias após o retorno, salvo se o fechamento da folha ocorrer antes deste prazo, quando então deverá ser entregue até esta data.

 

Relações Sindicais - Sindicalização (campanhas e contratação de sindicalizados)

 

CLÁUSULA TRIGÉSIMA – DA SINDICALIZAÇÃO - Os Estabelecimentos de Ensino não obstarão à sindicalização de seus auxiliares de administração escolar, obrigando-se a descontar em folha de pagamento a mensalidade devida, desde que por eles autorizados, e efetuar o recolhimento ao sindicato até o dia 15 (quinze) do mês subseqüente ao que deu origem ao desconto, sob pena de, não o fazendo neste prazo, incorrer em juros de mora e multa correspondente a 10% (dez por cento) mais atualização monetária sobre o montante devido, sem prejuízo da responsabilidade civil da empresa e criminal de seus responsáveis.

 

PARÁGRAFO ÚNICO: O sindicato profissional fornecerá os impressos próprios para esse recolhimento em época oportuna, e caso não o faça, não haverá incidência de atualização monetária nos valores a serem recolhidos.

 

Acesso do Sindicato ao Local de Trabalho

 

CLÁUSULA TRIGÉSIMA PRIMEIRA - DO INGRESSO DE REPRESENTANTES DO SINDICATO NOS ESTABELECIMENTOS DE ENSINO - Os Estabelecimentos de Ensino permitirão o ingresso de representantes do sindicato laboral, devidamente credenciados, sendo o horário estabelecido em comum acordo com a direção da empresa.

 

Contribuições Sindicais

 

CLÁUSULA TRIGÉSIMA SEGUNDA - DA TAXA DE REVERSÃO SALARIAL PROFISSIONAL - Os Estabelecimentos de Ensino, descontarão de todos os auxiliares de administração, a Taxa de Reversão Salarial Profissional, de 06% (seis por cento), a ser descontada da seguinte forma: 3% (três por cento) a ser descontado no mês de maio/2014, com recolhimento até o dia 15/06/2014; 3% (três por cento) a ser descontado no mês de junho/2014, com recolhimento até o dia 15/07/2014.

 

PARÁGRAFO PRIMEIRO - Para os auxiliares de administração escolar associados e aqueles que se filiarem ao SAAEL até o dia 15/04/2014, estão isentos do desconto da Taxa de Reversão Salarial Profissional;

 

PARÁGRAFO SEGUNDO - O montante descontado dos auxiliares a esse título, será recolhido, impreterivelmente, até o dia 15 (quinze) do mês subseqüente aquele em que foi descontado, em conta bancária a ser indicada pelo SAAEL, em guia própria, fornecida pelo mesmo até 10 (dez) dias antes do vencimento.

 

PARAGRÁFO TERCEIRO - O mesmo procedimento exigir-se-á em relação aos auxiliares admitidos após o mês de abril/2014, cujo recolhimento será efetuado em guia suplementar, salvo nos casos em que o empregado já tenha contribuído no emprego anterior.

 

PARAGRÁFO QUARTO - o não recolhimento da referida taxa por parte do Estabelecimento de Ensino, incorrerá em multa de 10% (dez por cento), que serão arcados pelo Estabelecimento de Ensino infrator.

 

CLÁUSULA TRIGÉSIMA TERCEIRA - DA TAXA DE REVERSÃO SALARIAL PATRONAL - Os Estabelecimentos de Ensino recolherão em favor do SINEPE /NPR - SINDICATO DOS ESTABELECIMENTOS DE ENSINO DO NORTE DO PARANÁ, a título de taxa de reversão salarial patronal, os seguintes percentuais:

 

 

PARÁGRAFO PRIMEIRO: DA ESCOLA ASSOCIADA

1- Uma parcela de 1,2% sobre o valor total da folha de pagamento referente ao mês de março de 2014, já reajustada, vencível em 15/06/2014.

 

2- Uma parcela de 1,2% sobre o valor total da folha de pagamento referente ao mês de julho de 2014, vencível em 15/08/2014.

 

Cada uma das parcelas apontadas nos itens “(1)” e “(2)”, acima, terá como limite mínimo a importância equivalente a R$ 362,00 (trezentos e sessenta e dois reais), e como limite máximo o equivalente a R$ 14.480,00 (quatorze mil, e quatrocentos e oitenta reais).

 

PARÁGRAFO SEGUNDO: ESCOLA NÃO ASSOCIADA

1- Uma parcela de 2% sobre o valor total da folha de pagamento referente ao mês de março de 2014, já reajustada, vencível em 15/06/2014.

 

2- Uma parcela de 2% sobre o valor total da folha de pagamento referente ao mês de julho de 2014, vencível em 15/08/2014.

 

Cada uma das parcelas apontadas nos itens “(1)” e “(2)”, acima, terá como limite mínimo a importância equivalente a R$ 362,00 (trezentos e sessenta e dois reais), e como limite máximo o equivalente a R$ 14.480,00 (quatorze mil, quatrocentos e oitenta reais).

 

PARÁGRAFO TERCEIRO: O montante deverá ser recolhido impreterivelmente até o dia indicado, em conta bancária a ser apontada, através de guia própria que será remetida pelo Sindicato.

 

PARÁGRAFO QUARTO: Caso o recolhimento não seja efetuado na data aprazada a escola incorrerá em multa de 30% (trinta por cento), além de arcar com despesas judiciais e honorários advocatícios conseqüentes para a execução judicial.

 

CLÁUSULA TRIGÉSIMA QUARTA - DA TAXA FEDERATIVA PATRONAL - Os Estabelecimentos de Ensino recolherão em favor da Federação Nacional das Escolas Particulares - FENEP, a título de Taxa Federativa patronal, a importância correspondente a UM SALÁRIO MÍNIMO ANUAL, vencível em 15/06/2014. Havendo recolhimento em atraso, a escola incorrerá em multa de 10% (dez por cento) e mais correção monetária.

 

 

Direito de Oposição ao Desconto de Contribuições Sindicais

 

CLÁUSULA TRIGÉSIMA QUINTA - DO DIREITO DE OPOSIÇÃO AO DESCONTO DA TAXA DE REVERSÃO SALARIAL - É garantido a todos os auxiliares de administração, o direito de se opor ao desconto da taxa estabelecida no caput desta cláusula, desde que se manifestem por escrito, e entregue ao Departamento de Pessoal ou Recursos Humanos do estabelecimento onde esteja o empregado, entre os dias 10 (dez) de janeiro até 15 (quinze) de abril de cada ano; os contratados posteriormente, poderão se opor-se no ato da contratação, ou até 05 (cinco) dias antes do fechamento da folha de pagamento. Sendo que o Estabelecimento de Ensino deverá enviar para o Sindicato, ofício, comunicando a oposição juntamente com uma cópia da carta de oposição do empregado.

 

                          Outras disposições sobre relação entre sindicato e empresa

 

CLÁUSULA TRIGÉSIMA SEXTA - DAS PUBLICAÇÕES SINDICAIS - Os estabelecimentos de ensino cientificarão e afixarão em quadros próprios, acessíveis aos auxiliares de administração escolar, as notas e publicações enviadas pelo sindicato laboral, desde que não seja material político-partidário ou ofensivo.

 

CLÁUSULA TRIGÉSIMA SÉTIMA - DIVULGAÇÃO DESTA CONVENÇÃO COLETIVA - Os Estabelecimentos de Ensino manterão um exemplar do texto deste instrumento normativo à disposição dos auxiliares de administração escolar, sempre que solicitarem.

                                               Disposições Gerais Mecanismos de Solução de Conflitos

 

CLÁUSULA TRIGÉSIMA OITAVA - COMISSÃO PARITÁRIA - Qualquer dúvida porventura existente relativa à aplicação da presente convenção coletiva, será dirimida por uma comissão paritária de três representantes do sindicato da categoria econômica e três representantes do sindicato da categoria profissional ao qual o problema esteja afeto, objetivando a solução da pendência.

 

                                               APLICAÇÃO DO INSTRUMENTO COLETIVO

 

CLÁUSULA TRÍGESIMA NONA: CATEGORIA PROFISSIONAL - Aplica-se a presente CCT aos Auxiliares de Administração Escolar, que prestam serviços ou desempenham funções exceto as de docente, em estabelecimento de ensino e educação, sediados na base territorial deste Sindicato.

 

Descumprimento do Instrumento Coletivo

 

CLÁUSULA QUADRAGÉSIMA - MULTA POR DESCOMPRIMENTO - Fica estabelecida que o não cumprimento da presente Convenção Coletiva de Trabalho importará em uma multa de 50% (cinqüenta por cento) do piso salarial, por cláusula infringida, em favor do auxiliar ou Estabelecimento de Ensino, paga por quem descumpri-la.